Actividades da Turma no projecto "Reflexão, Cultura e Mentalidades" no âmbito da articulação do PCT.
21
Out 09
Publicado por T10C, às 21:37link do post | comentar

E acabou assim um ano de fortes emoções (:

Não , por acaso até fomos muito calminhos :'D
Mas foi bom , muito bom ! Senti me mesmo no meio de uma turma . Haviam grupos , é claro , mas aqueles que estavam (mesmo) dentro do espírito divertiam se fosse com quem fosse .
Eu tinha gosto em ir para as aulas , por toda a convivência que sentia . Nós eramos muito unidos e unioes destas não se esqueçem , a menos que as pessoas queiram . Eu não quero ! Recuso me a pensar que me vou separar da minha turma , o meu 10ºC , a minha Favelinha :D


Obrigado , um sincero obrigado é o que eu tenho a dizer .
Agradeço por todas as gargalhadas , por todos os sermoes que ouvimos juntos , por todas as vezes em que conseguimos levar os profs. ao limite , por todos os choros de despedida , por todos os Momentos !
Aos Profs.:
A todos aqueles que realmente se preocuparam connosco , que se entregaram de corpo e alma a esta turma e que muitas vezes nada recebiam , que perderam muito tempo a tentar fazer com que dessemos um rumo á nossa vida . Os conselhos , os óptimos momentos passados , desde o dia em que comemos bolo de chocolate na aula de física até ao jantar de final de ano com a DT , passando pelo Sarau de Filosofia e pela Seventies Party !


Foram todos importantes e nunca serão esquecidos .


 


 



Márcia Teixeira, 9 de Setembro de 2009.

 

Fonte: http://www.hi5.com/friend/profile/displaySameProfile.do?userid=372680480


03
Mar 09
Publicado por T10C, às 18:59link do post | comentar

Poetisa e professora brasileira, nasceu no Rio de Janeiro a 7 de Novembro de 1901 e faleceu a 9 de Novembro de 1964. Formada pelo Instituto de Educação, em 1917, ao mesmo tempo que estudava línguas e frequentava o Conservatório Nacional de Música, publicou, apenas com 18 anos, o seu primeiro livro de poesia, intitulado Espectros. Desde então e até 1927, fez parte do grupo de escritores católicos que, colaborando nas revistas Árvore Nova, Terra de Sol e Festa, formaram a corrente espiritualista, corrente esta que a autora trocaria mais tarde pelo movimento neo-simbolista, tendência bem evidenciada nos livros que escreveu em 1923 (Nunca Mais... o Poema dos Poemas) e em 1925 (Balada para El-Rei).
De 1930 a 1934, dirigiu a página dedicada à educação no Diário de Notícias, fundando, neste último ano, uma das primeiras bibliotecas infantis do Brasil, no Rio de Janeiro. De ascendência portuguesa, Cecília Meireles visitou Portugal, facto que inspirou o seu segundo livro, Viagem (que recebeu o primeiro Prémio da Academia Brasileira de Letras em 1938).
De regresso ao Brasil, leccionou Literatura Luso-Brasileira e, até 1938, foi responsável pela disciplina de Técnica e Crítica Literária na Universidade do então distrito federal. Em 1940, ensinou Literatura e Cultura Brasileiras na Universidade do Texas. Mais tarde, viajou por muitos outros países, fazendo conferências, ministrando cursos e tomando contacto com a cultura de países pelos quais se sentia atraída, tais como o México, a Índia e, principalmente, Portugal.
Além de se ter dedicado à literatura e ao ensino, a autora interessou-se também pelo folclore, tendo, em 1951, secretariado o I Congresso Nacional de Folclore e publicado, em 1955, a obra Panorama Folclórico dos Açores, especialmente sobre a Ilha de S. Miguel. Por outro lado, a pesquisa histórica levou-a a escrever, em 1953, Romanceiro da Inconfidência.
Sendo sócia honorária do Gabinete Português de Leitura, no Rio de Janeiro, e do Instituto Vasco da Gama, em Goa, foi condecorada com o grau de Oficial da Ordem de Mérito do Chile e com o título Doutor Honoris Causa pela Universidade de Nova Deli, Índia.
A obra de Cecília Meireles ocupa um lugar muito particular na literatura brasileira contemporânea por não se inscrever em qualquer escola literária. Na sua poesia, distinguem-se claramente três temas fundamentais: o oceano, o espaço e a solidão. De toda a sua vasta obra, destacam-se: Vaga Música (1942), Mar Absoluto (1945), Retrato Natural (1949), Canções (1956), Metal Rosicler


02
Mar 09
Publicado por T10C, às 19:28link do post | comentar

Biografia: Carlos Drummond de Andrade

 

 

Carlos Drummond de Andrade foi um poeta, contista e cronista brasileiro, nasceu a 31 de Outubro de 1902, em Itabira, Mato Dentro, Minas Gerais;
Filho de Carlos de Paula Andrade, e D. Julieta Augusta Drummond de Andrade;
Estudou em Belo Horizonte e Nova Friburgo, expulso do Colégio em Nova Friburgo, por “insubordinação mental”, regressa a Belo Horizonte, onde inicia a sua carreira como escritor, publicando pequenos trabalhos no “Diário de Minas”;
Em 1923 entra na escola de Odontologia e Farmácia de Belo Horizonte, concluindo o curso de Farmácia em 1925, na cidade de Ouro Preto, que pertence ao estado de Belo Horizonte;
Após a conclusão dos estudos, Carlos Drummond de Andrade casa-se com Dolores Dutra de Morais, em 1925;
Em 1927, nasce o seu primeiro filho, Carlos Flávio, que falece após meia hora de vida;
No dia 4 de Março de 1928, nasce a sua filha Maria Julieta Drummond de Andrade, que se tornará na sua companheira Literária;
Em 1931, falece seu pai, Carlos Paula de Andrade, aos 70 anos;
Funda “A Revista” com a intenção de divulgar os Modernismo, no Brasil, modernismo é um movimento Literário;
Em 1934, entra para a função Publica, e viaja para o Rio de Janeiro, onde fixa residência;
Em 1954, colabora como cronista no Correio da manhã, e no Jornal do Brasil a partir de 1969;
Apesar de durante a maior parte da sua vida ter sido funcionário publico, Drummond de Andrade iniciou-se na escrita cedo;
Faleceu a 17 de Agosto de 1987, no Rio de Janeiro;
Drummond de Andrade falece 12 dias após a morte de sua única filha, Maria Julieta Drummond de Andrade;
 
MODERNISMO:
O modernismo, como já foi referido, é um movimento Literário;
O modernismo consistia essencialmente, numa maior liberdade de escrita;

01
Mar 09
Publicado por T10C, às 01:51link do post | comentar

José Fontinhas Rato nome verdadeiro de Eugénio de Andrade, nasceu a 19 de Janeiro de 1923, em Povoa de Atalaia, na Beira Baixa.

Estudou em Lisboa, onde viveu com a mãe, e em 1943 matriculou-se no curso de filosofia, em Coimbra. Aí conheceu Miguel Torga, Eduardo Lourenço e outras personalidades importantes da cultura portuguesa. Mais tarde foi residir para o Porto onde trabalhou como Inspector Administrativo do Ministério da Saúde.

Sua mãe é uma figura dominante na sua poesia porque a infância foi passada com ela. O seu primeiro poema publicado em 1939 chamou-se “Narciso” e pouco tempo depois começa a assinar com outro nome: nasce assim o poeta Eugénio de Andrade.

Em 1942, lança o seu primeiro livro de poesia: “Adolescente”. Em 1944 fazem-se as primeiras tradições de poemas seus para francês e, em 1945, a Livraria Francesa publica o seu livro “Pureza”.

É com o livro “As mãos e os frutos”, em 1948, que Eugénio de Andrade alcança o sucesso. A partir de essa data inicia-se uma carreira especialmente rica em poesia, mas também com produções nos domínios da prosa, de tradução e antologia. Eugénio de Andrade ergue-se ao primeiro plano da poesia portuguesa.

A 14 de Março de 1956 morre a sua mãe e morre uma parte do poeta: "A minha ligação à infância é, sobretudo, uma ligação à minha mãe e à minha terra, porque, no fundo, vivemos um para o outro".

Falece a 13 de Junho de 2005.

 


27
Fev 09
Publicado por T10C, às 17:45link do post | comentar

Sebastião Artur Cardoso da Gama, uns dos poetas do sec. XX, este nasceu no dia 10 de Abril de 1924, vindo a falecer em 7 de Fevereiro de 1952 por tuberculose.

 

Colaborou nas revistas Árvore e Távola Redonda.A sua obra encontra-se ligada à Serra da Arrábida, onde vivia e que tomou por motivo poético de primeiro plano (desde logo no seu livro de estreia, Serra-Mãe, de 1945).Fundador da Liga para a Protecção da Natureza em 1948.Em 4 de Maio de 1951, no convento da Arrábida, casou-se com D. Joana Luísa. O seu Diário, editado postumamente em 1958, é um interessantíssimo testemunho da sua experiência como docente e uma valiosa reflexão sobre o ensino.As Juntas de Freguesia de São Lourenço e de São Simão, instituíram, com o seu nome, um Prémio Nacional de Poesia. No dia 1 de Junho de 1999, foi inaugurado em Vila Nogueira de Azeitão, o Museu Sebastião da Gama, destinado a preservar a memória e a obra do Poeta da Arrábida, como era também conhecido.

 

Publicações:

 

Em vida:

  • Serra Mãe (1945)
  • Loas a Nossa Senhora da Arrábida (1946, em colaboração com Miguel Caleiro)
  • Cabo da Boa Esperança (1947)
  • Campo Aberto (1951)

 

Postumamente:

  • Pelo Sonho é que Vamos (1953);
  • Diário (1958);
  • Itinerário Paralelo (1967: compilado por David Mourão-Ferreira);
  • O Segredo é Amar (1969);  
  • Cartas I (1994).

 

O poeta também foi professor de português, licenciado em filologia românica pela Faculdade de Letras da Universidade De Lisboa em 1947.Este exerceu o cargo de professor em Lisboa, Estremoz e Setúbal.


13
Fev 09
Publicado por T10C, às 15:13link do post | comentar

Florbela de Alma da Conceição nasceu a 7 de Dezembro de 1894, em Vila Viçosa. A sua mãe chamava-se Antónia da Conceição Lobo e morreu algum tempo depois do parto. Foi baptizada como filha de pai incógnito e os seus avôs e avós eram também incógnitos. Teve uma infância sem falta de carinhos e a sua subsistência não foi ensombrada por insuficiências que atingem muitas das crianças que nascem em circunstâncias semelhantes.

Mais tarde, descobriu quem era o seu pai, este que não a deixou desprovida de amparo. Foi dele, João Maria, que recebeu o apelido de Espanca.

Ingressou no liceu de Évora. Num tempo em que poucas raparigas frequentavam estudos, e bonita como era, apesar de umas tantas vezes afirmar o contrário, punha à roda a cabeça dos colegas.

Não foi nesta altura que Florbela criou os primeiros poemas. Antes já os tinha escrito com erros de ortografia. Naturalmente infantis, mas avançados em relação à idade. De algum modo, prenunciavam o que viria depois.

Esta precocidade contrastava com algum desajustamento futuro, quando a sua escrita divergia dos conceitos de poesia dos grupos do "Orfeu", "Presença" e outras tendências do designado "Modernismo", e que emergiam como as grandes referências literárias da época, das quais Florbela pareceria arredada.

Inicialmente não tinha dificuldades económicas, como deixou a perceber. Explicadora, trabalhou ensinando francês, inglês e outras matérias. Mais tarde, com vinte dois anos, estudou Direito na Universidade de Lisboa.

Publicou vários poemas em jornais e revistas não propriamente dedicados à poesia, como Noticias de Évora e O Século ou de circulação local.

Editou os seus primeiros livros, Livro de Mágoas em 1919, e em 1923 Livro de Soror Saudade, onde incluiu grande parte da produção anterior.

Referia o seu Alentejo e os locais ligados às suas origens, e exaltava a Pátria em alguns poemas. Mas a sua escrita situou-se sobretudo no campo da paixão humana.

Contraiu matrimónio por três vezes. Do primeiro marido, Alberto Moutinho, usou o apelido em alguns escritos, nomeadamente correspondência. Do terceiro marido, Mário Lage, juntou o apelido à assinatura usual, nas traduções que efectuou. Do segundo, António Guimarães, não parece ter havido reminiscências explicitas nos escritos de Florbela, que lhe terá dedicado obra que publica como Livro de Soror Saudade, titulo diferente do projectado e esquecendo a dedicatória.

No último ano de vida elaborou um "Diário", onde deixou anotações até escassos dias antes do trágico fim.

A morte anunciada ao longo da sua escrita ocorreu pouco depois. Pôs fim à sua vida em 8 de Dezembro de 1930, dia em que fez 36 anos, em Matosinhos, onde vivia. Aí foi enterrada sendo mais tarde trasladada para a sua terra natal.

Florbela pode não ter sido a maior poetisa do seu tempo mas foi certamente uma das que mais agudamente e sem temor exprimiu as grandes contradições da sensibilidade feminina nas suas paixões. Ao mesmo tempo, com uma certa ingenuidade, impregnada das verdades simples ou complexas do que é a mulher, na convergência da cultura e do ser.


04
Jan 09
Publicado por T10C, às 16:05link do post | comentar

 

Dado que os conhecimentos relativos ao relevo português nem sempre estão presentes, aqui fica um mapa hipsométrico de Portugal Continental.

 

Olhem para ele várias vezes, pois só assim os vossos pontos de referência para a construção do vosso mapa mental do nosso território vão aumentando.

 

Reparem nas desigualdades na distribuição do relevo.


11
Dez 08
Publicado por T10C, às 12:36link do post | comentar | ver comentários (1)

Para os mais esquecidos, relembro que o dia 16 de Dezembro (24h) é a data limite para postarem o trabalho (individual) nos vossos blogs.

 

Como é do vosso conhecimento, devem utilizar os dados recolhidos no site do INE, concretizando os seis itens obrigatórios que vos foram indicados há algum tempo.

 

Para os que deixaram esta tarefa para os últimos dias e já não sabem do objectivo e da estrutura do trabalho, aqui fica novamente.

 

Objectivo: Caracterizar demograficamente uma unidade territorial (NUT III)
 
Estrutura:
1 – Enquadramento geográfico da sub-região no território nacional (localização relativa, constituição administrativa: NUT e concelhos, principais cidades);
2 – Comparar a densidade populacional da sub-região dos concelhos que a constituem com a NUT II onde se integra e a NUT I;
3 – Justificar a evolução da população na sub-região, salientando os concelhos que mais se destacam e apresentando justificações para tal;
4 – Caracterizar a distribuição da Taxa de Natalidade, da Taxa de Mortalidade e da Taxa de Crescimento Natural, destacando as áreas que mais se afastam dos valores nacionais e regionais;
5 – Descrever o Saldo Migratório da sub-região/concelhos explicando os resultados (positivo, negativo, nulo), bem como o seu significado sócio-económico;
6 – Indicar a Taxa de Crescimento Efectivo da sub-região apresentando cenários para um futuro próximo.

 

Obs.:

a) o trabalho deve abarcar pelo menos dois períodos temporais, que devem no mínimo abranger uma década.
b) os dados estatísticos podem ser apresentados em tabelas (forma mais simples e rápida) e/ou em gráficos (utilizando o excel) e/ou em mapas.

 

No próximo domingo, entre as 10h e as 12h, voltarei a estar on-line, no messenger, para esclarecer dúvidas, à semelhança do que aconteceu anteriormente.

Tentarei colocar nos comentários a este post as dúvidas mais recorrentes.

 


07
Dez 08
Publicado por T10C, às 20:16link do post | comentar

Olá Turma!

 

Não esqueçam que 4ª feira temos teste de avaliação de História.

O tema para o teste, como sabem, é "O Modelo Romano".

 

Orientações que devem considerar no vosso estudo:

 

  • Formação do Império/ Importância do Mar Mediterrâneo;
  • Extensão do direito de cidadania romana como processo de integração da pluralidade de regiões sob a égide do Estado Imperial;
    • culto do Imperador;
    • importância do Direito Romano;
  • Sentido pragmático da cultura Romana/ modelos arquitectónicos e urbanismo;
  • Apologia do Império:
    • épica ;
    • historiografia;
  • Romanização da Península Ibérica:
    • instrumentos de aculturação;
    • fases do estabelecimento do domínio romano;
    • instrumentos da romanização;
    • evidência, na actualidade, do processo de romanização.

Se subsistirem dúvidas, estarei na escola na 3ª feira e temos hora disponível às 14:20h.

 

tags:

22
Nov 08
Publicado por T10C, às 22:53link do post | comentar

Tal como em Portugal, por todo o mundo a esperança média de vida tem vindo a aumentar gradualmente, registando os valores mais elevados nos países com maior grau de desenvolvimento.

 

Eis algumas situações que mostram como o aumento da longevidade se traduz em alterações no modo de vida populacional:

 

1.ª: Adriana Emilia Iliescu (romena), tinha 66 anos e 230 dias de idade quanto deu à luz por cesariana a sua filha Eliza Maria Bogdana no Clinical Hospital of Obstetrics e Gynaecology, em Bucareste-Roménia, em 16 de Janeiro de 2005;

 

2.ª: A trisavó mais jovem foi Harriet Holmes (canadiana), em 8 de Março de 1987. Aos 88 anos e 50 dias tornou-se trisavó de Brian Bursey;

 

3.ª: John Rocchio (norte-americano) e a sua mulher Amelia (norte-americana) casaram em 10 de Fevereiro de 1923 em Rhode Island (EUA) e celebraram o seu 83º aniversário de casamento em 10 de Fevereiro de 2006;

 

4.ª: A maior idade totalmente autenticada de algum humano é de 122 anos e 164 dias. Este recorde pertence a Jeanne Louise Calment (francesa), que nasceu a 21 de Fevereiro de 1875 e faleceu, num lar em Arles, sul de França, a 4 de Agosto de 1997;

 

5.ª: Frances Ensor Benedict (norte-americano) tinha 83 anos e 329 dias, quando adoptou legalmente Jo Anne Benedict Walker, a 5 de Abril de 2002, no Tennessee, EUA. Jo Anne tinha 65 anos e 224 dias na altura, tendo-se tornado na adoptada mais velha.


mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Visitas: 22/11/08
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO